Começaremos nossa retrospectiva de um jeito bem diferente, olhando primeiro para o tempo presente e, a partir daí, resgatando as memórias do que vivemos ao longo do ano. O exercício, assim, se torna mais linear, já que “tudo é conexão”. Ao observarmos o agora, somos instigados a perceber as nuances fugazes que compõem o tecido do presente. Neste olhar para o tempo, encontramos a magia de como cada momento, por mais efêmero que seja, contribui para a narrativa mais ampla da vida. Assim, mergulhamos não apenas na retrospectiva, mas em uma jornada contínua, onde o tempo se desdobra em reflexões sobre o que somos e para onde estamos indo.

Em dezembro, temos falado sobre a importância de se respeitar o tempo de cada um e as microtransições do cotidiano. Embalamos o livro inédito do educador Paulo Fochi: “Vida Cotidiana e Microtransições”, que reflete sobre a vida cotidiana nas escolas participantes do OBECI, reconhecendo sua importância geradora de bem-estar, aprendizagens e conexões entre crianças e adultos. A obra explora as microtransições, definindo-as como transições horizontais que acontecem na jornada educativa entre diferentes situações.

Já em novembro, passamos o nosso tempo valorizando o potencial para multiplicar e transformar o conhecimento, a abertura para diversas formas de ensino e aprendizado, o reconhecimento e valorização do erro como parte do processo de aprendizagem, o direito ao acesso a diferentes ferramentas de expressão e ambientes culturais inclusivos. Foi o tempo de colocar a mão na massa, como também de viajar para perto e para longe, aguçando a curiosidade por novas abordagens na educação. Estivemos em Portugal e Peru, duas viagens que deixaram história (e que, no próximo ano, reescreverão novas histórias, com novos grupos e novos olhares).

Em Outubro, ao se pensar em conexões e em um ciclo que nos liga ao outro, é impossível não falar da natureza e dos seus quatro elementos. O olhar atento para as formas de se conectar com a terra, o fogo, a água e o ar. Assim como na natureza, onde a terra sustenta a água, o fogo aquece o ar, e todos esses elementos se influenciam mutuamente, em nossa própria vida, encontramos uma lição valiosa. Falando em conexões, recebemos muitos grupos em nossa Casa Diálogos, assim como estivemos em Cubatão, Belo Horizonte e Guarulhos em eventos com o Professor António Nóvoa, que falou sobre seu livro “Professores: Libertar o Futuro”, da Editora Diálogos Embalados, que já cativou mais de 6 mil educadores comprometidos com o futuro.

Em Setembro, em conexão com este mês de dezembro, estivemos em Porto Alegre para visitar escolas da OBECI, do educador Paulo Fochi. O OBECI desenvolveu ao longo dos anos uma abordagem pedagógica participativa, baseada na escuta da voz da criança, na compreensão de sua competência e no compartilhamento da ação pedagógica. Embalamos também o livro inédito “No Mundo: páginas para uma educação aberta e ao ar livre”, da educadora italiana Monica Guerra, que utiliza referências de cientistas, exploradores, educadores e artistas para ilustrar como o encontro com a natureza pode ser tanto questionador quanto contemplativo, estimulando uma relação mais íntima com o mundo. Uma colaboração entre as editoras Diálogos Embalados e Pedro & João Editores.

Ao revisitar esses meses do ano, percebemos que cada experiência, seja ao embalar livros inspiradores, explorar novos lugares ou refletir sobre a natureza, é uma peça valiosa da nossa jornada educacional. Em 2023, mergulhamos nas microtransições do cotidiano, abraçamos a diversidade de aprendizados, da natureza e celebramos a importância de cada momento. À medida que fechamos este capítulo, ansiamos por novas páginas em branco, cheias de descobertas, conexões e histórias a serem escritas no livro do tempo que está por vir.

Na próxima semana, a segunda parte dessa retrospectiva que enche nossos corações de alegria.